Museu da Pesca - Carretilhas Antigas e Molinetes Antigos

O MATERIAL AQUI APRESENTADO FOI ENCONTRADO NA INTERNET, EM SITES DE VENDA E DE COLECIONADORES. O OBJETIVO DESTA POSTAGEM É APENAS MOSTRAR COMO ERAM OS EQUIPAMENTOS DE PESCA ANTIGAMENTE.
SE ALGUÉM TIVER ALGUMA SUGESTÃO OU DÚVIDA, BASTA CLICAR EM "CONTATO". DESDE JÁ AGRADEÇO A COMPREENSÃO DE TODOS.

Editado em: 01 de dezembro de 2011

A pesca com molinetes e carretilhas não é de hoje um hábito dos pescadores, à mais de 100 anos já é uma prática costumeira. Mas com o passar dos anos esses equipamentos sofreram mudanças estéticas e funcionais, e cada vez mais perfeitas.
Agora vejam abaixo alguns modelos que muta alegria já trouxeram para os pescadores do passado:
_______________________________________________________________

Um dos primeiros exemplos deste fabricante famoso de carretilhas Kentucky. O nome do fabricante é JF & BF Meek, que estavam no negócio juntos em Frankfort, Kentucky em 1850.
Os parafusos são numerados e são feitas de prata alemã. O encaixe de chifre está localizado em uma posição 12:00 contrabalançada em forma de 'S' . O tamanho é semelhante à # 5 feita mais tarde por Meek. É provável que este é um dos dois exemplos desse tamanho e variação. O outro exemplo é conhecido por ter sido apresentado ao presidente Grover Cleveland.
_______________________________________________________________

Carretilha J. Deally Kentucky - Deally size 4 _______________________________________________________________

A Graxa foi retirad e levado parte para ver o mecanismo do drag. Observe a gravura é tanto dentro na placa original, bem como a placa adicional do mecanismo de tração. O proprietário era o Dr. Preston B. Scott.



Site para Denúncia da Operação Verão

"Operação Verão" da Marinha do Brasil abre canal de denúncia on-Line

Sempre pensando em preservar a nossa Lagoa dos Patos, seus afluentes e também suas riquezas naturais, estamos colocando a disposição um link direto para fazer sua denúncia para Operação Verão da Marinha do Brasil. 

Neste espaço você pode enviar o seu flagrante, pode ser em vídeo, foto ou um simples relato será enviado para a Capitania dos Portos de sua cidade ou jurisdição.
 
Para isso, você preenche seu nome, seu e-mail, sua cidade e seu estado.

Para fazer sua denúncia, clique no link abaixo:


" Buscamos uma praia mais segura para todos - e você também - então desde já agradecemos pelo envio de sua denúncia.
Se liga, você é o capitão! "





Um bom verão e boa pesca à todos!

Iscas para pesca na lagoa dos patos

Em todos os programas de tv e revistas especializadas em pesca, os profissionais indicam o uso de iscas artificiais de todos os tipos. Eu concordo que são muito práticas mas vai depender do local e da quantidade de peixes. A única delas que nós usamos aqui no sul e que realmente funciona é o "ratinho" para a pesca de traíras, tanto em açudes como em arroios.
Mas no caso da "pesca de praia", seja ela no mar ou aqui na lagoa dos patos, o correto é usamos iscas naturais pois são mais eficientes, sejam elas vivas ou mortas.
O objetivo desta matéria é mostrar os tipos mais comuns de iscas que usamos aqui na lagoa dos patos e para qual peixe ela é mais indicada.

Com o uso da isca correta, você pode ter muito mais sucesso na sua pescaria e voltar pra casa com um belo peixe para o seu "almoço de domingo" com a família.

Veja abaixo as iscas naturais mais utilizadas:

Camarão:

Esta é a isca mais usada pelos pescadores na lagoa por atingir a maioria das "espécies que habitam por aqui" e por ser de fácil aquisisão com os pescadores artesanais.
Para usá-la, retire a cabeça, isque o anzol e enrrole o elástico para evitar do peixe retirá-la com facilidade.
Indicada para pesca da corvina, do bagre e do jundiá.

Minhocão:

Encontrado nos campos, o  minhocão serve para quase todas as espécies, mas é mais usada para a captura do jundiá e do bagre. Outros como o pintado, a joana e a tambica também a apreciam.






Lambari:

Pela grande facilidade de se encontrar esse pequeno peixe em rios e açudes de todo o país, torna-se a isca mais utilizada por pescadores na pesca de outros peixes como a traíra, o jundiá, a tambica e do bagre.

Minhoca comum:

Quem já não encontrou uma minhoca no pátio de casa, embaixo de algum vaso? Pois é, essa isca é a mais comum de todas e serve para qualquer peixe da nossa lagoa dos patos.
Para aqueles que não tem um minhocário em casa, procure em locais úmidos ou em terrenos abandonados que, com certeza, você terá sua isca.


Existem outras coisas que podem ser usadas como isca:
- Massa de pão, salsicha, carne (coração de boi), tripa de galinha, etc.

Para aqueles que fazem qualquer coisa por uma boa pescaria, arranjar uma isca não é problema. O que for comestível serve, não é verdade?
Então, junte seu equipamento, linha n'água e boa sorte!
.

Velejando pela Lagoa dos Patos

Um belo passeio é sempre relaxante e se isso vier acompanhado pela tranquilidade, amizade e paisagens belíssimas é só aproveitar o momento.
Bem, foi isso que aconteceu com esses três amigos nessa viagem que aconteceu no mês de abril quando partiram da cidade de "São Lourenço do Sul" com destino à "Rio Grande".
Como vocês poderão ver nas fotos abaixo, existem muitas curiosidades que a maioria das pessoas não conhecem por falta de oportunidade ou por falta de tempo e por esses motivos resolvi descrever essa breve história dos nossos velejadores.






Como presente, nossos amigos receberam um dia de sol maravilhoso e um vento propício para os barcos  que usavam na viagem. Viagem essa que havia sido planejada com antecedência e com as paradas marcadas na carta náutica. Se bem que, para quem conhece a lagoa dos patos como eles, isso torna-se desnecessário.
Na foto abaixo, vários lambaris numa rede serviram para uma bela "fritada" que é um prato muito conhecido pelos pescadores e pelas pessoas que prestigiam a famosa "festa do mar", que anualmente acontece no porto de Rio Grande.
Mas abaixo, temos imagens da costa leste da lagoa que é muito bonita.










Como não podia deixar de ser, depois de um lindo dia de sol, o entardecer foi mais uma "imagem fantástica" para os olhos e uma boa noite de sono porque isso também faz parte.
A alvorada também não passa despercebida, regada ao bom e velho chimarão e com uma névoa fina que deixam a paisagem pitoresca às margens da lagoa.




Na foto abaixo, uma parada nas "palafitas". Essa construção rústica serve de descarga de peixes para os barcos de pesca que não conseguem chegar perto da margem por causa da pouca profundidade da região e que depois são levados até as peixarias por outros barcos de pesca.
Mas abaixo, temos a imagem de uma "rede aviãozinho" suspensa e a estrutura do velho "farol do estreito" que ainda resiste ao tempo e serve apenas de descanso para os mergulhões.






Chegando ao fim da viagem, vemos abaixo a plataforma da petrobrás P58 e o barco escola da FURG ancorados no porto de Rio Grande e também os prédios históricos à beira do cáis.




Realmente, para quem pode fazer um passeio desses, é um contato direto com a beleza e "história do Rio Grande do Sul" e bem que poderia se tranformar num pequeno cruzeiro para que todos pudessem apreciar, mas isso é para o futuro. Mas... quem sabe?
Por enquanto vamos ficar apenas com os passeios que cada um que tenha um veleiro, tempo e uma máquina fotográfica possa fazer nos melhores dia do ano.
E aí? Quem se habilita?
.

1° Festa do Peixe e do Camarão na Z3

http://betodaz3.blogspot.com.br/
No último do 5 de maio, a comunidade de pescadores da colônia Z3 da praia do Junquinho em "Pelotas", realizou a 1° Festa do Peixe e do Camarão para comemorar os bons resultados na pesca do crustáceo deste ano. Foram capturadas mais de mil toneladas de camarão pelos pescadores de Pelotas, e também da ótima safra de tainha.
O tempo e o clima foi parceiro dos festeiros na realização do evento, pois o lindo dia de sol no sábado deu as boas vindas à mais de 7 mil pessoas que prestigiaram a festa e se deliciaram com vários pratos preparados com todo carinho pelas cozinheiras e assadores.
Além da gastronomia, vários shows de música e o artesanato local tiveram destaque durante a festa, que será a primeira de várias, segundo o presidente da colônia Z3. Já promete para o próximo ano uma festa ainda maior e melhor.
Espero que esta festa seja mais uma a emoldurar as riquezas da nossa bem e também produtiva Lagoa dos Patos.