Usar o SONAR na pesca

Imagine, por um momento, se você pudesse ver todos os peixes dentro d'água, como se a água fosse ar e eles flutuassem ao invés de nadarem. Seria ótimo, não é mesmo? Ao contrário disso, pescamos  em águas escuras que nos impedem de vê-los. E para dificultar mais ainda, estas condições estão sempre em permanente mudança. Somente com a capacidade de nos adaptarmos a essas mudanças, e de achar o peixe, é que poderemos maximizar a produtividade da pescaria e otimizar nosso tempo na água.
 
Todos os pescadores sabem que os peixes não estão espalhados a esmo nos rios, lagos e mares. Pescadores mais experientes saberão que eles se concentram em locais específicos onde a pesca é mais produtiva. Estes locais são definidos por fatores tão distintos como correnteza, salinidade, temperatura, profundidade, tipo de fundo, e outros ainda tão sutis que sequer imaginamos. Se toda água fosse absolutamente transparente, não haveriam tantos problemas em achar estes locais e "encontrar o peixe". Mas pescamos quase sempre em águas turvas que nos impedem de ver as condições sob a embarcação. E para dificultar mais ainda, estas condições estão sempre em permanente mudança. Somente com a capacidade de nos adaptarmos a essas mudanças, e de achar o peixe, é que poderemos maximizar a produtividade da pescaria e otimizar nosso tempo na água.
 
Com o objetivo de auxiliar o pescador nessa tarefa, foram criados os "fishfinders", que são aparelhos que através do envio de um sinal de ultra-som para o fundo da água e pelo seu eco, captam as formas submersas existentes. O sinal em ultra-som é enviado por uma peça conhecida como sensor ou transducer. Esta peça fica presa ao fundo ou à popa do barco, e seu sinal tem o formato de um cone, que é mais forte no centro do cone e vai enfraquecendo à medida que se abre.
Após atingir o fundo, o sinal retorna ao transducer trazendo as informações do fundo. O aparelho identifica os objetos suspensos entre o fundo e a superfície, mostrando o seu tamanho e profundidade. Na maioria das vezes estes objetos são na realidade peixes.
 
As principais características de um bom SONAR (fishfinder) são:
- resolução da tela: quase todos os fishfinder disponíveis hoje possuem telas de cristal líquido. Estas telas tem um bom contraste no sol e são à prova de água. Elas são formadas por vários pontinhos (pixels) pretos que compõe a imagem. Quanto mais pixels estas telas tiverem maior a sua resolução e mais fiel é a sua representação do fundo. O mínimo aceitável é uma tela com resolução de 100 pixels verticais (100 pontos de cima para baixo).
- simplicidade de operação e instalação: de nada adianta um fishfinder extremamente sofisticado se seu uso prescinde de técnico eletrônico. A tecnologia precisa ser amigável, com funções de uso fáceis e intuitivas.
identificação de peixes: todo fishfinder identifica objetos suspensos entre o fundo e a superfície como sinais de sonar, mas alguns permitem também que sejam identificados como desenhos de peixes em vários tamanhos diferentes e com as suas profundidades reais. Isto simplifica a interpretação da informação na tela pelo pescador.
- alarmes: os alarmes podem ser ajustados para dispararem com a presença de peixes ou por segurança, como no caso de passarmos por um local raso demais.
- zoom: esta função fornece uma visão ampliada do fundo, dando maiores detalhes das estruturas.
identificação da qualidade do fundo: alguns modelos mais sofisticados identificam o tipo de fundo pela sua dureza (lama, areia, cascalho, pedra, etc.). Com o tempo essa informação se torna extremamente útil para o pescador.
- temperatura e velocidade: os fishfinders mais sofisticados terão, ainda, sensores de velocidade, temperatura e distância percorrida acoplados ao equipamento.
- outras funções: os sensores de busca lateral, como o broadview, buscam os peixes lateralmente, além de para baixo. Funções como a Windows permitem que o usuário configure a tela do equipamento para apresentar somente as informações que este deseja dentre todas as disponíveis.
 
Independente do modelo utilizado e das funções disponíveis, o usuário do logo verá o aumento de produtividade de sua pescaria ao reduzir o tempo gasto em áreas não piscosas, ao encontrar logo os melhores pontos em um pesqueiro novo, ou ao passar sobre uma nova laje que ele jamais imaginou que existisse e que talvez nunca tenha visto um pescador. De qualquer modo, o pescador estará encontrando mais peixe do que nunca, e logo fará do fishfinder um inseparável companheiro de aventuras, histórias e lazer.


Mais sobre SONAR no "Menu" ao lado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário e/ou dúvida que responderei o mais breve possível.

Postar um comentário